Plano financeiro dos EUA não incluirá 'bad bank', diz emissora

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos desistiu dos planos de criar um mecanismo conhecido como "bad bank" para comprar ativos podres de bancos comerciais, disse a emissora CNBC em seu site na Internet. O mecanismo seria parte de um pacote de resgate financeiro. "O amplo plano do governo Obama para estabilizar o sistema financeiro não inclui mais a criação de um "bad bank", mas ainda vai conter medidas para a compra de ativos tóxicos de instituições financeiras", informou a CNBC na segunda-feira (horário de Nova York). A emissora citou uma fonte próxima da questão. A notícia aumentou as dúvidas do mercado sobre a efetividade do plano e pesou sobre os índices futuros das bolsas norte-americanas. Muitos participantes do mercado esperavam que o governo do presidente norte-americano, Barack Obama, estabelecesse um mecanismo pelo qual bilhões de dólares de dívida podre fosse comprada dos bancos. Mas a Casa Branca tem encontrado dificuldades em precificar os ativos de forma que ajude os bancos, mas também seja justa com os contribuintes. Em vez disso, o governo pretende estimular investidores privados a adquirirem ativos relacionados a hipotecas que "sujam" os balanços dos bancos. A CNBC também informou que o financiamento para o plano de resgate dos bancos não deve superar os 350 bilhões de dólares ainda disponíveis de um programa de resgate financeiro. O secretário de Tesouro norte-americano, Timothy Geithner, anunciará o pacote na terça-feira. (Reportagem de Wayne Cole)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.