Polícia detém dois africanos preparados para ataque a sinagoga em NY

Suspeitos carregaram armas e granada; autoridades estão em alerta após morte de Bin Laden

Reuters

12 de maio de 2011 | 17h46

Autoridades apresentam armas detidas junto dos suspeitos.

 

NOVA YORK - Dois homens do norte da África foram presos pela polícia depois de comprarem uma granada e armas para atacar uma sinagoga de Nova York, disseram as autoridades locais nesta quinta-feira, 12.

O argelino Ahmed Ferhani, 26 anos, e o marroquino Mohammed Mamdouh, 20 anos, compraram três pistolas, munição e uma granada na quarta-feira. Eles foram detidos ao final de uma operação policial que durou sete meses, disseram a polícia e a promotoria de Manhattan em nota.

Esse é o 13º atentado planejado por militantes islâmicos descoberto e desmantelado pelas autoridades desde os ataques de 11 de setembro de 2001. A polícia está particularmente em alerta desde o começo de maio, quando o militante Osama bin Laden, líder da Al-Qaeda, foi morto por forças americanas no Paquistão.

"Estamos preocupados com notícias de um complô terrorista interno contra instituições comunitárias judaicas na cidade de Nova York. Especialmente diante da morte de Osama bin Laden, estamos ativamente abordando o Movimento da Federação em toda a América do Norte para ajudar as comunidades a estarem preparadas, alertas e seguras conta a ameaça elevada", disse em nota a entidade Federações Judaicas da América do Norte.

 

A Al-Qaeda da Península Arábica, sede da rede terrorista no Iêmen, e outras organizações extremistas juraram atacar os EUA em retaliação à morte de Bin Laden. Documentos encontrados na casa do saudita no Paquistão divulgados na quarta-feira revelaram que o próprio Bin Laden estimulava seus seguidores a promover novos ataques contra alvos em território americano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.