Polícia investiga homofobia em ataque a mulher nos EUA

A polícia de Lincoln (Nebraska, EUA) disse na segunda-feira que cogita a hipótese de homofobia na agressão a uma mulher de 33 anos que foi amarrada na sua casa por três mascarados e teve palavras gravadas no seu corpo.

Reuters

23 de julho de 2012 | 20h09

Cerca de 500 pessoas fizeram uma vigília em solidariedade à vítima no domingo na Assembleia Legislativa do Estado.

A mulher disse à polícia que três homens mascarados invadiram sua casa em Lincoln, na manhã de domingo, a amarraram e marcaram as palavras com uma faca no seu corpo. A polícia não revelou o teor das palavras, mas a imprensa local disse que eram insultos homofóbicos.

Pichações contra homossexuais foram deixadas na fachada da casa, segundo a polícia, e os agressores também provocaram um incêndio na cozinha. O fogo não se propagou, e os prejuízos se limitaram a cerca de 200 dólares.

A polícia local disse que está investigando o caso, mas que não divulgaria mais detalhes.

(Reportagem de Mary Wisniewski)

Mais conteúdo sobre:
EUANEBRASKAHOMOFOBIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.