Polícia investiga motivação das explosões em Boston

Com um dos suspeito das explosões da maratona de Boston sendo atendido em um hospital devido a ferimentos graves, investigadores trabalharam neste sábado para encontrar o motivo e descobrir se os irmão de etnia chechena acusados do ataque agiram sozinhos.

STE, Reuters

20 de abril de 2013 | 14h38

Dzhokhar Tsarnaev, de 19 anos, foi capturado no final da noite de sexta-feira depois de uma troca de tiros com a polícia que encerrou uma caçada humana de quase 24 horas. O irmão dele, Tamerlan, de 26 anos, foi morto na quinta-feira em um tiroteio com a polícia.

Tsarnaev estava sendo tratado no centro médico Beth Israel Deaconess em Boston, disse a porta-voz Kelly Lawman, que acrescentou que o FBI iria fornecer novas informações sobre as condições do jovem.

Não havia informações clara sobre quando ele seria oficialmente acusado.

Tsarnaev estava se escondendo dentro de um barco, estacionado no quintal de uma casa no subúrbio de Watertown, disse a polícia.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu na sexta-feira que o país descobrirá se os dois irmãos chechenos suspeitos pelas explosões na maratona de Boston receberam ajuda, e pediu para que os norte-americanos evitem julgamentos.

Há dúvidas ainda sobre as informações divulgadas na sexta-feira de que o FBI interrogou um dos suspeitos em 2011 e não encontrou evidências de que ele era perigoso.

"Vamos determinar o que aconteceu. Vamos investigar qualquer associação que esses terroristas possam ter e continuaremos a fazer o que temos de fazer para manter o nosso povo a salvo", afirmou Obama sobre as duas explosões que mataram três pessoas e deixaram 176 feridos.

Os primeiros indícios eram de que os suspeitos agiram sozinhos, disse o chefe de polícia de Watertown, Edward Deveau, à rede de TV CNN, neste sábado.

"Pelo que sei até agora, estes dois agiram juntos e sozinhos", disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABOSTONINVESTIGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.