Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Polícia prende 32 em protestos contra a guerra do Iraque

Manifestantes tentam invadir prédio da Receita Federal no dia do discurso do presidente americano

Associated Press e Reuters,

19 de março de 2008 | 13h23

Pelo menos 32 pessoas foram detidas ao tentar ultrapassar o bloqueio aos protestos realizados nesta quarta-feira, 19, para marcar o aniversário de 5 anos da invasão americana no Iraque. Cerca de 100 pessoas participaram do ato na frente do Serviço de Receita Federal americano e alguns tentaram invadir o local.   Veja também: Retirada do Iraque não pode comprometer avanços, diz Bush Guerra do Iraque faz 5 anos Ocupação do Iraque    Mais de cem pessoas se reuniram em frente à sede da Receita americana, em Washington, gritando frases como "Vocês estão prendendo as pessoas erradas". Os manifestantes bloquearam a entrada principal do prédio, quando aparentemente nenhum funcionário federal estava tentando usar as portas. A polícia deteve 13 pessoas que estavam na entrada.   Foto: AP   Os manifestantes disseram estar protestando em frente à Receita porque o órgão é responsável pela arrecadação dos impostos usados para financiar a guerra. Protestos contra a guerra no Iraque e vigílias estavam planejadas por todo o dia, em diferentes partes dos Estados Unidos. Em Ohio, por exemplo, estavam programados mais de 20 diferentes vigílias, passeatas, marchas e outros eventos.   No Instituto de Petróleo Americano, no centro de Washington, dezenas de manifestantes portavam faixas com dizeres do tipo "Fora do Iraque", ou "Sem sangue pelo petróleo!". Universitários dos Estados de New Jersey e Dakota do Norte haviam planejado manifestações contra a guerra. Os estudantes da Universidade de Minnesota se mobilizaram para fechar os escritórios de recrutamento militar no campus.   No subúrbio de Miami, Linda Belgrave, uma professora de sociologia na Universidade de Miami, e outros manifestantes vestidos de preto entoavam palavras de ordem contra a invasão no Oriente Médio. "Este é o início do sexto ano desse horror, e isso tem que terminar", disse Linda.   A guerra no Iraque é impopular nos Estados Unidos e no exterior. Apesar disso, uma pesquisa da Associated Press e da Ipsos em dezembro mostrou um número crescente de pessoas que acreditam que os EUA estão fazendo progressos e finalmente podem dizer que têm algum sucesso no Iraque.   O resultado da pesquisa ocorreu em meio à queda das mortes entre norte-americanos e iraquianos e ao início de retiradas pontuais de tropas. Ainda assim, a maioria permanece condenando o conflito.   O protesto aconteceu no dia em que presidente dos EUA, George W. Bush, afirmou não lamentar por ter iniciado a impopular guerra no Iraque, apesar do "alto custo em vidas e em verbas", e declarou que seu país estava no caminho certo para obter uma grande vitória ali. Em um discurso proferido no Pentágono para marcar o aniversário de cinco anos da invasão liderada pelos norte-americanos, Bush, com uma pitada da mesma arrogância manifestada em 2003, disse: "Os avanços que estamos vendo no Iraque são inegáveis."

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.