Por engano, EUA enviaram fusível de míssil nuclear para Taiwan

As Forças Armadas dos Estados Unidosenviaram, por engano, quatro fusíveis de mísseis nucleares paraTaiwan em 2006 e nunca perceberam o erro, afirmou o Pentágonona terça-feira, reconhecendo a ocorrência de um incidente quepromete irritar a China. Os militares deveriam enviar baterias de helicóptero paraTaiwan, mas, ao invés delas, mandaram fusíveis usados comoparte do mecanismo de detonação de mísseis Minuteman. Taiwandevolveu os fusíveis aos EUA na semana passada. De toda forma, nenhum material nuclear chegou a ser enviadoao país asiático, afirmou o Pentágono. O problema só foi percebido quando Taiwan notou não dispordas baterias de helicóptero encomendadas e entrou em contatocom os EUA para resolver a questão, disseram autoridadesnorte-americanas. Os EUA notificaram a China a respeito. O governo chinês,para o qual a ilha de Taiwan é uma província rebelde, estámodernizando suas armas para diminuir a distância em relação aoarsenal do vizinho, composto principalmente de armamentosnorte-americanos. Taiwan e China contam com governos diferentes desde 1949,mas a liderança chinesa nunca renunciou à possibilidade de usara força para colocar a ilha capitalista sob seu controle. "A Secretaria de Defesa está encarando essa questão commuita seriedade. Estamos todos encarando isso com muitaseriedade", afirmou o secretário da Força Aérea dos EUA,Michael Wynne. "Apesar de isso não ter sido considerado e não ter podidoser considerado material nuclear, confesso para vocês queficamos preocupados com isso", disse Wynne a repórteres, noPentágono. O envio dos fusíveis representa o segundo episódioembaraçoso anunciado pelo Pentágono no último ano envolvendo oextravio de material nuclear ou de material relacionado com osetor nuclear. No ano passado, um bombardeiro da Força Aérea sobrevoou porengano os EUA com ogivas nucleares a bordo. O Departamento de Defesa ordenou que a Marinha e a ForçaAérea elaborem um inventário com todos seus equipamentos emateriais nucleares ou similares. E o secretário de Defesa norte-americano, Robert Gates,ordenou que se investigue o incidente com os fusíveis, afirmouRyan Henry, primeiro vice-subsecretário para políticas dedefesa. Os EUA podem ter violado leis internacionais ou tratadosinternacionais de armas ao realizarem a remessa. "Estamos analisando isso agora", afirmou Henry. "Se algumacoisa se extraviou, não houve nenhuma intenção de que issoocorresse." Não se sabe ainda o que ocasionou a remessa errônea dosfusíveis, disseram Henry e Wynne. O Pentágono tampoucodescobriu ainda o nome do responsável pelo engano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.