Prazo para fechar Guantánamo será difícil de cumprir, diz Holder

O secretário da Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, disse nesta terça-feira que será difícil cumprir o prazo estabelecido pelo governo Obama para o fechamento da prisão militar de Guantánamo, em Cuba, que detém estrangeiros suspeitos de terrorismo.

REUTERS

06 de outubro de 2009 | 17h50

"Será difícil para nós cumprir o prazo de 22 de janeiro", disse Holder aos repórteres, acrescentando rapidamente que as autoridades continuarão a se empenhar para cumprir o objetivo que o presidente Barack Obama estabeleceu em seu segundo dia no cargo.

Ainda há 223 detentos na polêmica prisão, aberta após os ataques de 11 de Setembro para receber suspeitos de terrorismo e que foi criticada em parte por causa dos interrogatórios violentos conduzidos ali.

Holder disse que todos os detentos foram analisados e que um número significativo deles deve ser transferido para o exterior. Promotores estão examinando um grupo menor de prisioneiros para serem julgados em cortes dos Estados Unidos.

O governo também está perto de selecionar um local em território norte-americano para abrigar os detentos que seriam julgados em cortes do país, disse ele, um ponto de discórdia entre Obama e alguns republicanos no Congresso, que preferem manter Guantánamo aberta para a detenção e julgamento dos suspeitos de terrorismo.

"Acho que no final das contas Guantánamo será fechada, e acho que é a coisa certa a fazer dado o fato de que serviu e continua a servir como uma ferramenta de recrutamento para aqueles que querem ferir esta nação", disse Holder.

(Reportagem de Jeremy Pelofsky)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAGANTANAMOFECHAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.