Pré-candidato dos EUA acusado de assédio recebe apoio da mulher

O pré-candidato republicano à presidência dos EUA Herman Cain não é o tipo de pessoa que assediaria mulheres sexualmente, segundo declarações de sua mulher, Gloria Cain, em trechos de uma entrevista para o canal Fox News divulgados no domingo.

REUTERS

14 de novembro de 2011 | 10h26

A mulher de Cain, de 43 anos, não tem aparecido publicamente desde que o marido começou sua campanha pela indicação do Partido Republicano para concorrer contra o presidente Barack Obama, em 2012. Em uma rara entrevista, ela abordou as alegações de assédio sexual que têm prejudicado a campanha do marido.

"Ouvir alegações tão descritivas e saber que isso seria algo tão completamente desrespeitoso da parte dele com uma mulher e eu sei que ele não é essa pessoa. Ele respeita totalmente as mulheres", disse Gloria Cain em uma entrevista que será exibida nesta segunda-feira pela emissora.

Quatro mulheres alegaram comportamentos sexualmente inapropriados por parte de Cain, incluindo duas que apresentaram as queixas quando ele ainda era chefe da Associação Nacional de Restaurantes dos EUA.

Cain, ex-executivo que nunca teve um cargo público, negou as acusações de assédio sexual.

Uma pesquisa da Reuters/Ipsos entre quinta e sexta-feira passadas revelou que Cain, com 20 por cento do apoio, estava atrás do ex-governador do Massachusetts Mitt Romney, com 28 por cento, na preferência dos eleitores entre os republicanos que disputarão a indicação do partido para a corrida presidencial.

(Reportagem de JoAnne Allen)

Tudo o que sabemos sobre:
EUACAINESPOSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.