Prefeito de NY pede que EUA cubra gastos de vítimas de atentados

O prefeito de Nova York, MichaelBloomberg, pediu ao governo dos Estados Unidos que pague 150milhões de dólares por ano para cobrir os gastos médicos detrabalhadores e residentes que tiveram a saúde afetada pelosataques de 11 de setembro de 2001. O governo federal criou um fundo de seguros de 1 bilhão dedólares para ajudar trabalhadores do chamado "ponto zero" queadoeceram devido à fumaça tóxica e a poeira que dominaram olocal de destruição do World Trade Center. O fundo, no entanto, foi impedido por ações judiciais ecriticado pela falta de pagamentos aos trabalhadores doentes. O pedido pelos pagamentos de saúde está entre asprioridades para o prefeito independente, que forneceu naquinta-feira uma atualização para seu segundo e último mandato,que termina em 2010. Suas outras prioridades incluem a arrecadação de verbaspara a infra-estrutura, do transporte para o sistema de água eesgotos. Um assistente do prefeito disse que a meta poderia seratingida se um banco federal de infra-estrutura fosse criado,uma idéia também apoiada pelo governador da Califórnia ArnoldSchwarzenegger e pelo governador da Pensilvânia, o democrata EdRendell. Bloomberg repetiu alguns objetivos anteriores, incluindo aangariação de fundos para a segurança. O prefeito também desejadiminuir as emissões de dióxido de carbono para 30 por centoaté 2030 e impulsionar fortemente o número de casasdisponíveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.