Shannon Stapleton/Reuters
Shannon Stapleton/Reuters

Prefeito de NY vai pedir US$9,8 bi ao Congresso por prejuízos do Sandy

Bloomberg disse que prejuízos públicos, privados e indiretos após o furacão foram estimados em US$ 19 bilhões

Reuters

26 de novembro de 2012 | 19h22

NOVA YORK - O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, disse nesta segunda-feira, 26, que vai pedir ao Congresso US$ 9,8 bilhões para cobrir custos não-segurados relativos à supertempestade Sandy. Em carta à delegação parlamentar de Nova York, Bloomberg disse que os prejuízos públicos, privados e indiretos em decorrência da devastadora tempestade do fim de outubro foram estimados em US$ 19 bilhões na cidade.

Desse total, seguros privados devem cobrir US$ 3,8 bilhões, e os reembolsos da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (Fema, na sigla em inglês) poderiam somar outros US$ 5,4 bilhões, disse Bloomberg em nota. A prefeitura precisaria, portanto, de US$ 9,8 bilhões a mais para tarefas como mitigação de riscos, moradias permanentes, restauração da costa e esforços de proteção.

Bloomberg deve conversar na quarta-feira com líderes parlamentares em Washington. Sandy chegou à Costa Leste do país em 29 de outubro, deixando um rastro de dezenas de mortos, milhares de desabrigados, casas destruídas, falta de energia e caos nos transportes públicos de Nova York.

O custo total na região ainda não está claro, porque Estados, prefeituras e condados continuam avaliando os prejuízos e os futuros gastos com reparos e prevenção. Seguradoras devem cobrir grande parte dos custos, e a Fema provavelmente arcará com pelo menos 75% dos custos passíveis de cobertura. Autoridades municipais e estaduais podem pedir verbas adicionais.

Em 12 de novembro, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse que planeja pedir US$ 30 bilhões em ajuda emergencial ao governo federal. Inicialmente, Cuomo estimou um prejuízo total de US$ 50 bilhões na região, sendo dois terços disso no Estado de Nova York.

Seu gabinete não respondeu imediatamente a um pedido para comentar como a cifra apresentada pela prefeitura de Nova York se encaixa na estimativa total para o Estado. A prefeitura de Nova York disse ter registrado US$ 4,8 bilhões em prejuízos privados não-segurados, US$ 3,8 bilhões em prejuízos privados segurados e US$ 4,5 bilhões em prejuízos de órgãos municipais.

Só a reconstrução de ruas deve custar quase US$ 800 milhões, segundo Bloomberg. A cidade, importante centro turístico e financeiro global, também teve prejuízos de 5,7% por perda de atividade econômica, de acordo com o prefeito.

A vizinha Nova Jersey disse ter sofrido um prejuízo total de pelo menos US$ 29,4 bilhões, segundo dados preliminares divulgados na sexta-feira pelo governador Chris Christie.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.