Prefeitura de Nova York vai demitir mais de 6.000 em 18 meses

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, anunciou nesta quinta-feira um pacote de cortes orçamentários e demissões no funcionalismo público, que representarão um total de 1,5 bilhão de dólares em economia.

REUTERS

18 de novembro de 2010 | 18h07

A meta de Bloomberg é reduzir o déficit municipal no próximo ano fiscal para 2,4 bilhões de dólares.

A atualização de novembro para o Plano Financeiro de Nova York prevê 889 demissões no atual ano fiscal, que termina em 30 de junho, e outras 5.312 no ano fiscal seguinte. Além disso, a prefeitura deixará em aberto 1.213 vagas de trabalho neste ano, e quase outras 3.000 no ano seguinte.

"Enfrentamos um desafio significativo no próximo ano fiscal, com o esgotamento dos dólares do estímulo federal, e pelo fato de a cidade ainda sofrer os impactos da crise econômica nacional", disse Bloomberg em nota.

O departamento municipal de Educação terá um corte de 350 milhões de dólares nas suas verbas, e perderá 6.166 postos no magistério (entre demissões e vagas não preenchidas). A polícia terá 350 demissões de funcionários civis, e 51 agentes prisionais perderão seus empregos.

Também serão reduzidos em 30 milhões de dólares os subsídios a bibliotecas e instituições culturais, resultando em aproximadamente 190 demissões na área da cultura.

Tudo o que sabemos sobre:
EUANYDEMISSES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.