Premiê japonês está perto de acordo sobre base dos EUA em Okinawa

O primeiro ministro do Japão Shinzo Abe nesta quarta-feira ficou mais perto de obter a aprovação da ilha de Okinawa para a substituição de uma base aérea dos Estados Unidos, um movimento que resolveria um impasse de quase 20 anos que criou tensas relações com Washington.

Reuters

25 de dezembro de 2013 | 13h48

Um acordo com membros do governo de Okinawa poderia ser uma conquista para Abe, que prometeu uma postura militar mais assertiva do Japão num momento em que a aliança de segurança entre Japão e Estados Unidos foi testada pela tensão com a China sobre ilhas disputadas no Pacífico.

As negociações avançaram em um encontro entre Abe e o governador de Okinawa, Hirokazu Nakaima, que mantém um veto efetivo sobre os planos de construir uma nova base aérea dos Estados Unidos para substituir a base Futenma.

Nakaima elogiou Abe por oferecer uma série de concessões para atender várias preocupações, incluindo promessas de maior orçamento para Okinawa nos próximos sete anos e a perspectiva de maior controle ambiental sobre as bases dos EUA.

"O que foi oferecido foi surpreendente e esplêndido", disse Nakaima a Abe, acrescentando que tomaria uma decisão final sobre a aprovação da construção de uma nova base na sexta-feira.

Os EUA e o Japão concordaram em 1996 em fechar a base Futenma, mas a construção de uma nova base enfrentou forte oposição em Okinawa, que abriga mais da metade das forças militares dos EUA no Japão. Okinawa foi ocupada pelos EUA até 1972.

(Por Nobuhiro Kubo)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAJAPAOOKINAWA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.