Presidente da Geórgia pede cessar-fogo após violentos conflitos

O presidente da Geórgia,Mikheil Saakashvili, pediu na quinta-feira um cessar-fogoimediato com os militantes separatistas da Ossétia do Sul,depois de dias de luta que despertaram o temor de uma novaguerra no Cáucaso. Ele reforçou a oferta de "autonomia completa" para aregião. Segundo o presidente, a Rússia pode ser o fiador destaautonomia, pois já teria indicado que deseja refrear osseparatistas. "Eu ofereço a vocês um cessar-fogo imediato e o inícioimediato de negociações", disse Saakashvili em um discursotelevisionado. As regiões de Ossétia do Sul e Abkásia, na Geórgia, têm oapoio político e financeiro da Rússia, mas a Geórgia, ex-membroda União Soviética, se alinhou com o Ocidente e quer se filiarà Otan. O país fica no coração de uma região que está setornando uma rota vital no transporte de energia. Saakashvili disse que os militares da Geórgia ainda estãosob o fogo da artilharia, mas ele ordenou a suas forças que nãorevidem. "Foi uma decisão dolorosa, mas tivemos baixas e ascasas dos moradores locais foram danificadas", disse. As autoridades da Ossétia do Sul não comentaram sobre ainiciativa do presidente. Os Estados Unidos e a Rússia concordaram em trabalhar emconjunto para pôr um fim aos confrontos, informou osecretário-assistente de Estado norte-americano Dan Fried emuma entrevista na quinta-feira. Fried disse à Reuters que ele conversou com o vice-ministrorusso das Relações Grigory Karasin por telefone e "ambosconcordaram em trabalhar juntos para pôr fim aos combates emOssétia do Sul e encorajar o diálogo político."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.