Presidente iraniano diz que 'questão nuclear está encerrada'

Ahmadinejad falou depois de líderes da França e Alemanha pedirem ação para impedir que país obtenha bomba

Associated Press,

25 de setembro de 2007 | 19h07

Em seu aguardado pronunciamento à Assembléia Geral da ONU, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta terça-feira, 25, que "a questão nuclear do Irã está encerrada". A declaração foi feita depois que líderes da França e Alemanha pediram em seus discursos que esforços sejam tomados para impedir que a República Islâmica construa uma bomba atômica. Veja também:Bush ignora Irã e pede defesa da democraciaBush anuncia sanções contra MianmáBan alerta para 'série assustadora de desafios' Chávez cancela discurso na Assembléia GeralPaíses ricos precisam dar exemplo, diz LulaApós dircurso de Bush, Cuba deixa plenário Sarkozy: permitir Irã nuclear pode gerar guerra  Ahmadinejad disse que o Irã permitirá que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) monitore seu programa nuclear. Ele afirmou, no entanto, que irá "ignorar as imposições ilegais de potências arrogantes", numa clara referência à campanha para a imposição de sanções contra a República Islâmica liderada pelos Estados Unidos.  O líder iraniano falou poucas horas após o presidente francês, Nicolas Sarkozy, ter alertado à Assembléia que a aquisição de armamentos nucleares pelo Irã levaria a um "risco inaceitável para a estabilidade na região e no planeta". Mais cedo, a chanceler alemã, Angela Merkel, ameaçou adotar sanções mais duras contra o Irã caso o país continue irredutível na disputa sobre seu programa nuclear.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.