Presídio de Illinois abrigará suspeitos detidos em Guantánamo

Transferência de presos para cadeia de segurança máxima deve acelerar fechamento da prisão cubana

AE-AP/DOW JONES, Agencia Estado

15 de dezembro de 2009 | 05h25

O governo do presidente Barack Obama deve anunciar nesta terça-feira que usará uma prisão de Illinois para a detenção de suspeitos de terrorismo que agora se encontram na Baía de Guantánamo, segundo o jornal The New York Times, que citou uma fonte não identificada do governo. A decisão é um passo importante em direção ao fechamento da prisão militar em Cuba, diz o jornal.

De acordo com a fonte, Obama ordenou a aquisição, pelo governo, do Centro Correcional Thomson, presídio de segurança máxima subutilizado, numa área rural a cerca de 240 quilômetros a oeste de Chicago.

Segundo o governador, o acordo pode gerar 2 mil empregos e injetar US$ 2 bilhões em investimentos federais na área.

 

O senador Richard Durbin, vice-líder democrata no senado, confirmou o plano. De acordo com ele, em novembro oficiais do governo indicaram que o presídio de Illinois poderia receber 100 presos de Guantánamo. Eles ficariam sob responsabilidade do Pentágono enquanto o resto dos detentos responderiam ao Bureau de Presídios.

 

A prisão de Thompson foi construída em 2001 e ficou fechada por cinco anos por falta de recursos.

 

Ao menos 215 pessoas estão presas em Guantánamo. Entre eles estão cinco acusados de participarem dos atentados de 11 de setembro, incluindo seu idealizador, o terrorista Khalid Sheik Mohammed, que será transferido para Nova York para ser julgado por um tribunal civil..

Tudo o que sabemos sobre:
Guantánamopresostransferência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.