Presos em Guantánamo poderão fazer ligações telefônicas

Nova política faz parte de uma estratégia para aliviar as frustrações dos prisioneiros

Efe,

12 de março de 2008 | 01h49

Alguns dos prisioneiros que os Estados Unidos mantêm em sua base naval em Guantánamo poderão fazer ligações telefônicas a seus familiares de forma regular, revelaram nesta terça-feira, 11, fontes da instalação citadas pela imprensa local. Veja também:Vídeo da visita à Base Naval de Guantánamo  Comandante de Guantánamo diz obter confissões com Big Macs  Guantánamo tem regras e códigos particulares O tenente-coronel Edward Bush disse que o Departamento de Defesa aprovou as ligações para parte dos 275 supostos terroristas que se encontram em Guantánamo, alguns há quase seis anos. "Não existe ainda uma data para a aplicação (do plano), mas ele está sendo desenvolvido", disse o militar, segundo o a edição digital do jornal "Miami Herald". Previamente, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos tinha proibido esse tipo de ligações por razões de segurança. No entanto, agora assinalou que a nova política faz parte de uma estratégia para aliviar as frustrações dos prisioneiros. Um porta-voz do Pentágono indicou que a nova política também representa um esforço para manter a saúde e o bem-estar dos detidos. O único contato com o exterior para os detidos se limita atualmente a cartas recebidas através da Cruz Vermelha Internacional e em reuniões com seus advogados.

Tudo o que sabemos sobre:
GuantánamoprisãoCubaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.