Pressão por investigação criminal aumenta com avanço de meningite nos EUA

Autoridades sanitárias disseram nesta quinta-feira que pelo menos 14.000 pessoas, mais do que o estimado anteriormente, possivelmente receberam injeções de esteroides contaminados ligados a um surto de meningite nos Estados Unidos e que pacientes devem ficar atentos a sintomas por vários meses.

Reuters

11 de outubro de 2012 | 20h15

As autoridades afirmaram que a empresa no centro do caso, a New England Compounding Cente, de Massachusetts, parece ter violado a sua licença ao produzir grandes quantidades de medicamentos, ao invés de apenas prescrições de pacientes individuais. Há pressões para uma investigação criminal.

"Esta organização optou por aparentemente violar os requisitos de licenciamento em que foram autorizados a operar", disse a diretora do Escritório de Segurança e Qualidade de Saúde, do Departamento de Saúde Pública de Massachusetts, Madeleine Biondolillo.

Representantes da empresa não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) afirmaram que o número de pessoas ameaçadas, 1.000 a mais do que o estimado antes, foi revisado após consultas com autoridades da área de saúde.

Catorze pacientes morreram de meningite e 169 pessoas foram infectadas, afirmou o CDC em seu boletim mais recente nesta quinta-feira. O número de infecções cresceu em 32 desde quarta-feira.

As infecções foram detectadas no prazo de duas semanas a até 42 dias, em média, após o medicamento ser aplicado nos pacientes.

Mas qualquer pessoa exposta aos frascos do esteroide acetato de metilprednisolona fornecidos pela companhia --usados ??para tratar dores nas costas e outras condições-- deve estar atenta para problemas de saúde por vários meses, disseram autoridades do CDC.

Os agentes sanitários locais contataram mais de 90 por cento dos pacientes que podem ter sido expostos.

A Flórida registrou uma segunda morte de meningite e Indiana reportou sua primeira morte desde o início do surto, confirmado em 11 Estados norte-americanos.

O esteroide é usado como um analgésico, normalmente para aliviar dores na coluna, e pode ter sido injetado em 14.000 pacientes, disseram autoridades.

A meningite é uma infecção das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinal. Pacientes mostram uma variedade de sintomas, incluindo fortes dores de cabeça e febre.

(Reportagem de David Morgan)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMENINGITESURTOINVESTIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.