Pressionado, Bush defenderá estratégia no Iraque

Em discurso, presidente tentará barrar republicanos insatisfeitos com política de guerra

Caren Bohan, da Reuters

10 Julho 2007 | 14h42

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, deve repetir nesta terça-feira, 10, que sua estratégia para o Iraque tem como meta final garantir o regresso dos soldados norte-americanos para casa.A declaração é parte dos esforços de Bush para barrar um crescente número de membros do Partido Republicano (governista) insatisfeitos com a política de guerra dos Estados Unidos. Nos últimos dias, cresceram os boatos de que a Casa Branca já discute a possibilidade de uma saída gradual das tropas. Embora publicamente negue o debate, a administração está temerosa com a retirada de apoio à guerra anunciada por senadores republicanos. No começo de janeiro, o presidente Bush apresentou uma nova estratégia para conter a violência no país árabe, o que incluía envio de mais homens ao Iraque. Enquanto congressistas importantes, como o senador Richard Lugar (principal republicano da Comissão de Relações Exteriores do Senado), vêm a público exigir mudanças, a Casa Branca mostra-se cada vez mais preocupada com a erosão do apoio junto à base governista.Bush quer ter mais tempo para permitir que o recente aumento do contingente militar dos EUA no Iraque renda frutos."O número das tropas será decidido por nossos comandantes em terra e não por personalidades políticas em Washington", disse Bush a jornalistas em Parma, Ohio, a caminho de Cleveland. Um relatório será entregue ao Congresso até o dia 15 de julho avaliando os progressos feitos no Iraque até agora. Esse documento mostrará resultados positivos e negativos, alimentando, provavelmente, o debate travado nesta terça-feira.O relatório apresentará "um retrato de progresso satisfatório em alguns setores e insatisfatório em outros. Isso era esperado já que o relatório oferece um instantâneo sobre como transcorrem os estágios iniciais da ampliação no número de soldados", afirmou uma importante autoridade do governo.Futura retiradaEm um discurso a ser proferido em Cleveland (Ohio), Bush deve ressaltar que o aumento do contingente militar integra os esforços para criar as bases de uma futura retirada das forças norte-americanas."Em Ohio, ele falará sobre o Iraque", disse uma autoridade do país, que não quis ter sua identidade revelada. "Ele continuará a discursar sobre a necessidade de levar estabilidade ao Iraque."Bush afirmou repetidas vezes que os soldados sairão do Iraque quando as condições de segurança permitirem.O apoio da opinião pública à guerra despencou e os índices de aprovação de Bush encontram-se nos menores patamares de sua Presidência.Uma pesquisa do USA Today/Gallup mostrou nesta terça-feira que mais de 70% dos americanos desejam a retirada de quase todos os soldados do Iraque até abril.Além disso, 62% disseram que os EUA erraram ao enviar suas forças ao território iraquiano. Essa é a primeira vez que, na pesquisa, essa cifra passa dos 60 pontos percentuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.