Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Primos assumem culpa por maior incêndio do Arizona

Dois primos, acusados de iniciar o maior incêndio já registrado no Arizona ao deixarem uma fogueira sozinha no ano passado, declararam-se culpados de duas acusações de delitos na terça-feira em um acordo com promotores federais.

DAVID SCHWARTZ, REUTERS

28 de março de 2012 | 08h40

O enorme incêndio, que durou do fim de maio ao início de julho, destruiu cerca de 36 casas e empresas, forçou em torno de 10 mil pessoas a fugir e devastou propriedades nas pitorescas White Mountains.

O senador John McCain, iniciou um furor quando sugeriu que o chamado Incêndio Wallow, que engoliu mais 2.175 quilômetros quadrados de floresta primária no leste do Arizona e se espalhou para o Novo México, poderia ter sido iniciado por imigrantes ilegais em junho passado.

Dois meses depois, os primos do sul do Arizona, Caleb Malboeuf, de 26 anos, e David Malboeuf, de 25, foram acusados ??de iniciar o incêndio na Floresta Nacional de Apache Sitgreaves por deixarem uma fogueira sem vigilância enquanto foram fazer uma caminhada.

Mais de 83 milhões de dólares foram gastos no combate ao fogo antes de ser finalmente contido em 8 de julho.

Na terça-feira, a dupla apresentou confissões de culpa diante de um magistrado federal em Flagstaff de duas acusações de contravenção cada, a de deixar uma fogueira sem vigilância e a de não remover todo o material inflamável ao redor da fogueira.

"Esta foi claramente uma situação em que achavam que o fogo estava apagado e deixaram a área", afirmou à Reuters o advogado de defesa, David Derickson, que representa Caleb Malboeuf. "É um incidente infeliz, mas você tem que seguir em frente."

O anúncio da sentença foi marcado para 20 de junho. Cada um enfrenta até um ano de prisão e 10 mil dólares em multas. As cinco acusações de delitos a que originalmente se declararam inocentes implicavam uma pena máxima de 30 meses de prisão e multas de 25 mil dólares para cada um.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAINCENDIOACUSADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.