Prisioneiro é executado no Arizona

Jeffrey Landrigan foi condenado por um assassinato cometido em 1989

Efe,

27 de outubro de 2010 | 05h38

WASHINGTON - O estado americano do Arizona executou nesta quarta-feira, 27, o prisioneiro Jeffrey Landrigan, horas depois de a Suprema Corte dos Estados Unidos anular a suspensão decretada por uma juíza federal, informou a imprensa local.

Landrigan, condenado por um assassinato cometido em 1989, recebeu uma injeção letal às 22h26 local (3h26 de Brasília) na prisão de Florence, na primeira execução realizada no Arizona desde 2007, destacou a rede de televisão local KVOA em seu site.

A execução ocorreu logo após o Supremo anular, por cinco votos a favor e quatro contra, a ordem de suspensão da juíza federal Roslyn Silver.

A juíza deteve a execução na segunda-feira passada, quando a defesa colocou dúvidas sobre a efetividade das drogas que seriam usadas na morte do réu, que procediam de um fabricante não-identificado.

Segundo a imprensa, o estado do Arizona ontem revelou a procedência das drogas, fornecidas pelo Reino Unido, o que pode ter influído na decisão final do Supremo.

Os advogados de Landrigan tinham alegado que o réu se asfixiaria de forma dolorosa se o tiopentato de sódio não o deixasse inconsciente antes da administração de outros compostos que paralisam os músculos e detêm o coração.

Nos Estados Unidos, há uma escassez de tiopentato de sódio, um agente anestésico que os veterinários usam habitualmente para sacrificar animais domésticos.

O composto é um dos três usados nos 36 estados americanos onde se aplica a pena de morte por injeção letal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.