Robyn Beck/AFP
Robyn Beck/AFP

Proprietários de armas nos EUA apoiam restrições, diz pesquisa

Ahmadinejad não deu detalhes sobre quantas centrífugas funcionam em complexos nucleares

Reuters

25 de julho de 2012 | 12h12

NOVA YORK - A maioria dos proprietários de armas dos Estados Unidos - até mesmo os membros e ex-membros da Associação Nacional do Rifle (NRA) - apoiam algumas restrições à posse de armas de fogo, incluindo verificação de antecedentes criminais para potenciais compradores de armas, de acordo com uma pesquisa encomendada por um grupo lobista anti-armas.

Veja também:

linkVenda de armas aumenta no Colorado após tiroteio em cinema

linkProprietários de armas nos EUA apoiam restrições, diz pesquisa

forumCURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

A pesquisa, realizada pelo pesquisador republicano Frank Luntz para o grupo Prefeitos Contra Armas Ilegais, foi conduzida em maio, mas divulgada na terça-feira, na sequência do tiroteio no cinema do Colorado que matou 12 pessoas na semana passada.

O tiroteio no subúrbio de Aurora, em Denver, nas primeiras horas da sexta-feira, renovou o debate sobre controle de armas em um país cuja Constituição garante o direito de portar armas. Autoridades disseram que o homem preso, acusado do ataque, estava armado com um fuzil AR-15, uma espingarda calibre 12 e uma pistola Glock calibre .40. Todas as armas foram compradas legalmente.

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, o bilionário financiador do grupo de prefeitos, disse que o incidente deveria acordar o país para a necessidade de restrições severas à posse de armas.

Luntz disse que entrevistou 945 proprietários de armas em todo o país -- metade dos quais era membro ou ex-membro da NRA, um grupo de defesa dos direitos de posse de armas, que adota uma linha dura contra a maioria das medidas de controle de armas de fogo - e a outra metade não eram afiliada ao NRA.

A pesquisa tinha uma margem de erro de mais ou menos 3 pontos percentuais. Os realizadores não forneceram resultados específicos de respostas dos atuais membros da ARN.

Setenta e quatro por cento dos membros e ex-membros do NRA e 87 por cento dos demais proprietários de armas apoiam checar os antecedentes criminais de quem compra uma arma, segundo a pesquisa.

Setenta e nove por cento dos membros e ex-membros do NRA e 80 por cento dos demais proprietários de armas apoiam a exigência de que os vendedores de armas verifiquem o passado de todos os funcionários para garantir que não são criminosos, revelou a pesquisa.

Os participantes da pesquisa também favorecem os requisitos de elegibilidade para a obtenção de licenças de armas escondidas, tendo 63 por cento dos membros e ex-membros da NRA e 74 por cento dos demais proprietários de armas concordado que os candidatos devem ter pelo menos 21 anos de idade.

Mais de dois terços dos entrevistados de ambos os grupos disseram que as licenças para portar armas ocultas não devem ser permitidas para as pessoas que cometeram delitos violentos, como assalto, ou aqueles que foram presos por violência doméstica.

A questão do controle de armas é controversa nos Estados Unidos. Os liberais no geral apoiam restrições e os conservadores são contra. Pesquisas do Instituto Gallup nas últimas duas décadas mostram que a porcentagem de norte-americanos que defendem tornar as leis de controle de armas 'mais rigorosas' caiu de 78 por cento em 1990 para 44 por cento em 2010.

Mais conteúdo sobre:
EUAARMASPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.