Queda de fiação elétrica pode ser origem de fogo na Califórnia

Foco mais destrutivo foi controlado em 20% e segunda frente deve ser extinta até quinta; incêndio matou dois

Efe,

15 de outubro de 2008 | 19h38

As autoridades californianas abriram uma investigação para analisar se uma queda da fiação elétrica foi a origem de um incêndio que continua ativo em Los Angeles e que causou a morte de duas pessoas, informou nesta quarta-feira, 15, a imprensa local. O fogo, que arrasou desde segunda-feira passada mais de 7.300 hectares do vale de San Fernando, desacelerou em seu avanço durante as últimas horas devido à falta de vento, o que facilitou as tarefas de combate às chamas.   Veja também: Vento diminui e bombeiros reduzem incêndio em Los Angeles   O foco mais destrutivo, chamado Sesnon, foi controlado em 20% e acredita-se que possa ter começado por uma queda da fiação elétrica, embora ainda não tenha encerrado a investigação. A segunda frente de fogo, conhecido como Marek, já foi apagada em 80%.   O departamento florestal da Califórnia anunciou que Marek estará totalmente extinto ao longo da quinta-feira, enquanto se espera que Sesnon siga ardendo até sábado, caso as condições meteorológicas permaneçam estáveis.   Os trabalhos dos bombeiros permitiram o retorno paulatino dos residentes da zona a suas casas, embora as autoridades mantêm a situação de alerta sobre 3.500 imóveis e 100 comércios, ainda ameaçados pelo avanço dos incêndios. Até agora, 19 casas foram consumidas pelas chamas, assim como outras 47 construções, além de terem deixado dois mortos.   Na segunda-feira, uma pessoa morreu em um acidente de moto enquanto dirigia por uma estrada com pouca visibilidade e outra, aparentemente um mendigo, morreu em uma área que estava sob ordem de evacuação. O governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, declarou na segunda-feira estado de emergência nos condados de Los Angeles e Ventura devido às chamas.

Tudo o que sabemos sobre:
Califórniaincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.