Reconstrução do World Trade Center deve sofrer mais atrasos

Autoridades alertam que calendário apresentado ao público e custos iniciais do projeto 'não são realistas'

Efe,

01 de julho de 2008 | 19h44

As autoridades de Nova York informaram nesta terça-feira, 1, que prevêem um aumento dos custos e mais atrasos no projeto de reconstrução do World Trade Center, que foi destruído nos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. O diretor-executivo da Autoridade do Porto de Nova York e Nova Jersey, Christopher Ward, advertiu em carta dirigida nesta terça ao governador de Nova York, David Paterson, de que o calendário e os custos do projeto anunciados previamente ao público "não são realistas." Ward propôs que um comitê se reúna de novo para estabelecer um calendário "claro e factível" até o final de setembro. Paterson tinha pedido à Autoridade do Porto de Nova York e Nova Jersey, que administra os aeroportos, túneis e pontes, e é proprietária do World Trade Center, cuja reconstrução assumiu em 2006, que realizasse um relatório sobre o estado do projeto do chamado "Marco Zero." Na superfície, localizada no sul de Manhattan, serão incluídos cinco edifícios para escritórios, um terminal de transporte e espaço para locais comerciais, além de um monumento e um museu em memória das quase três mil pessoas que perderam a vida na tragédia. Segundo os planos atuais, o monumento às vítimas do 11 de setembro está previsto para 2011, coincidindo com o 10.º aniversário do atentado, enquanto a Torre da Liberdade, o edifício mais emblemático do complexo, e outros arranha-céus abririam suas portas em 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
World Trade CenterEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.