Região deve ter cuidado com a Venezuela, diz funcionário dos EUA

Os vizinhos da Venezuela devem estarpreparados para reagir à potencial ameaça do crescimento bélicodo país, que poderia ser usado para intimidação ao invés dedefesa, disse na quinta-feira um importante funcionário dogoverno norte-americano. O presidente venezuelano, o socialista Hugo Chávez, irritouWashington nos últimos tempos ao gastar bilhões de dólares emcaças, helicópteros e rifles russos. O governo Bush proibiu a venda de armas dos EUA à Venezuelae critica os planos militares de Chávez, que pretende construiruma fábrica de rifles, os quais segundo Washington poderiachegar a guerrilheiros na vizinha Colômbia. "Parece que a ampliação desse personagem realmente nãoresponde à realidade do terreno aqui", disse osubsecretário-assistente de Defesa dos EUA para o HemisférioOcidental, Stephen Johnson, a jornalistas durante visita aBogotá. "[A ampliação bélica de Chávez] tem um efeito de intimidarvizinhos, e democracias na região precisam ser capazes deresponder a isso de uma forma que ajude a reduzir esse tipo deefeito." Ele defendeu a atuação diplomática no caso, especialmentejunto à Organização dos Estados Americanos. Chávez defende uma aliança contra as influênciasnorte-americanas. Washington o acusa de ser um ditador empotencial que minou a democracia venezuelana. (Por Patrick Markey)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.