Rei saudita instou EUA a atacarem Irã, revelam documentos

o rei Abdullah, da Arábia Saudita, tentou repetidamente convencer os Estados Unidos a atacarem o Irã para pôr fim ao programa de armas nucleares iraniano, enquanto a China, por sua vez, direcionou ataques cibernéticos contra os EUA.

REUTERS

29 de novembro de 2010 | 07h28

Essas informações são parte de um vasto conjunto de documentos liberados no domingo pelo website Wikileaks, cujas revelações vêm causando embaraços para a diplomacia norte-americana.

O Wikileaks, um site que se especializa em divulgar dados secretos, entregou para cinco grupos de mídia mais de 250 mil documentos que mostram avaliações favoráveis ou muito ácidas de líderes estrangeiros, bem como arquivos sigilosos sobre terrorismo e proliferação nuclear colhidos por diplomatas dos EUA, segundo informou o New York Times.

A Casa Branca condenou a divulgação e disse que as revelações podem pôr em risco informantes norte-americanos no exterior. O Wikileaks disse que seu website estava sendo atacado e nenhum dos documentos postados pp6de ser visto no domingo à noite, embora alguns tenham sido publicados por órgãos da mídia.

(Por Arshad Mohammed e Ross Colvin)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAWIKILEAKSSAUDITA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.