Republicano tenta vetar nomeação de embaixador para o Brasil

Senador Charles Grassley diz que visão de Shannon sobre tarifa de etanol coloca 'em questão' posição de Obama

Agência Estado e Dow Jones,

28 de julho de 2009 | 19h25

O senador norte-americano Charles Grassley (Republicano pelo Iowa) ampliou nesta terça-feira, 28, a disputa que mantém com a administração do presidente Barack Obama sobre a política para o etanol, ao tentar bloquear a nomeação de um diplomata para servir como embaixador dos EUA no Brasil, em meio a preocupações com uma possível mudança na política tarifária para o combustível.

 

O republicano pelo Iowa, que poderá ser crucial para os planos da administração Obama de reformar o sistema de saúde, planeja "manter em suspenso" a confirmação do diplomata Thomas A. Shannon Jr para servir como embaixador no Brasil, de acordo com a porta-voz Jill Gerber. O comunicado foi liberado horas após o senador escrever para funcionários da administração pedindo esclarecimentos de um comunicado lido na confirmação de Shannon, de que a remoção da tarifa sobre o etanol importado seria "benéfica."

 

"A visão expressa pelo Sr. Shannon coloca em questão e atual posição do presidente Obama sobre a tarifa do etanol", escreveu Grassley. Ele pediu esclarecimentos, ao dizer que "um sinal claro do ponto de vista do presidente sobre essa questão reduzirá a possibilidade de confusão na área central da América e no Brasil a respeito da tarifa do etanol, se o Sr. Shannon for confirmado como embaixador para aquele país."

 

Um porta-voz do Departamento de Estado do governo americano não quis comentar, citando uma prática de responder diretamente aos parlamentares e não através da mídia. Um porta-voz do escritório de Comércio dos EUA, o USTR, também não fez comentários.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.