Republicanos prometem se reagrupar após vitória do Tea Party

Derrota nas primárias em Delaware dificulta chance de republicanos obterem maioria no Senado

Reuters,

15 de setembro de 2010 | 20h35

WASHINGTON- Republicanos divididos se acusaram mutuamente nesta quarta-feira, 15, e prometeram se reagrupar após uma vitória do movimento conservador Tea Party em Delaware ter reduzido suas esperanças de voltar a controlar o Senado americano em novembro.

 

A vitória da conservadora Christine O'Donnell sobre Michael Castle em uma primária para o Senado terminou com a carreira de um dos últimos republicanos moderados no Congresso e provocou comemorações entre os democratas.

 

A derrota de Castle, que era favorito para ganhar as eleições de 2 de novembro em Delaware, reavivou os esforços dos democratas para conservar um cadeira ocupada por muito tempo pelo vice-presidente Joe Biden.

 

A vitória de O'Donnell também dificulta que os republicanos tomem as dez cadeiras necessárias dos democratas para obterem uma maioria no Senado.

 

Ainda espera-se que os republicanos traduzam a preocupação dos eleitores com a economia em grandes cifras em novembro, que poderiam devolvê-los o controle da Câmara Baixa.

 

A vitória de O'Donnell, apoiada pela ex-governadora do Alasca Sarah Palin, foi a mais importante em uma série de derrotas que os republicanos sofreram neste ano para candidatos do Tea Party.

 

A votação em Delaware foi o ponto mais destacado no dia final das primárias antes de novembro, quando serão eleitos em sete estados nomeados para o Senado, a Câmara dos Representantes e para governador.

 

O Tea Party ganhou outro impulso em Nova York, onde Carl Paladino venceu com facilidade as primárias contra Rick Lazio para o cargo de governador.

 

O movimento é um grupo conservador que prega a redução da participação do Estado na vida econômica dos EUA. O nome alude à chamada "festa do chá", uma revolta de norte-americanos na época do domínio colonial britânico, mas é lido também como sigla de "taxed already enough" ("já suficientemente tributados").

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.