Reuters desocupa redação em NY devido a pó suspeito

A redação da Reuters News em Nova York foi desocupada por quase três horas na segunda-feira depois de receber um envelope contendo um pó, disse a porta-voz da agência Jolie Hunt. A polícia orientou os funcionários a deixarem a redação no 19o andar de um prédio da Times Square depois que Brian Rhoads, editor-gerente da empresa para as Américas, abriu um envelope e um "um pouco de pó" se espalhou, segundo Hunt. A polícia apreendeu o envelope, isolou Rhoads e orientou os 140 funcionários a deixarem o local por precaução durante a investigação. Os funcionários se mobilizaram para que a agência continuasse a alimentar o noticiário de outros lugares. Quase três horas depois, Hunt disse que as autoridades informaram à Reuters que o pó branco é inofensivo, e os funcionários regressaram. A redação de Nova York é a sede da Thomson Reuters, empresa controladora, e a redação é a segunda maior da empresa, depois da de Londres. Neste mês, cartas contendo substâncias suspeitas foram enviadas a agências do banco Chase e a outras instituições financeiras de vários Estados, e também à redação do jornal The New York Times, em Nova York. Cartas ameaçadoras enviadas às instituições financeiras alertavam que "é hora do pagamento", disse o FBI na semana passada. As autoridades dos EUA estão em alertas contra esse tipo de carta desde 2001, quando envelopes com antraz foram enviados à imprensa e a parlamentares dos EUA, matando cinco pessoas. Paul Browne, porta-voz da polícia de Nova York, disse que em princípio não há relação entre a carta enviada ao The New York Times, as ameaças às instituições financeiras e o novo incidente. (Reportagem de Ellen Wulfhorst e Claudia Parsons)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.