Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Rice: diálogo tirou China da lista dos piores em direitos humanos

Estados Unidos divulgam relatório com dados relativos à situação em mais de 190 nações

12 de março de 2008 | 17h16

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, afirmou nesta quarta-feira, 12, que a saída da China da lista de países com piores índices de direitos humanos se justifica pela retomada do diálogo sobre o assunto com o país, informou a Agência France Presse.  Veja também:EUA tiram China da categoria de 'piores' em direitos humanos "Acabamos de retomar o diálogo com a China sobre os direitos humanos, que estavam parados há algum tempo", declarou a secretária. "O único objetivo era deixar em evidência alguns países que estão com o diálogo fechado, como Mianmar, onde a situação é diferente", acrescentou. A lista, divulgada nesta terça-feira, 11, traz dados relativos a mais de 190 países em 2007. O governo americano afirma que a situação dos direitos humanos na China ainda é precária, mas excluiu o país da relação de nações "em que o poder permanece concentrado nas mãos de líderes sobre os quais não há qualquer controle." Agora, o país asiático passou a ser incluído na lista das "nações autoritárias que estão passando por reformas econômicas e que viveram rápidas mudanças sociais, mas não adotaram reformas políticas e continuam a negar aos seus cidadãos direitos humanos básicos e liberdades fundamentais."  Entre os países considerados pelo governo americano como "os mais graves violadores sistemáticos de direitos humanos" estão Coréia do Norte, Mianmar, Irã, Síria, Zimbábue, Cuba, Belarus, Uzbequistão, Eritréia e Sudão.  

Tudo o que sabemos sobre:
Condoleezza RiceChinadireitos humanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.