Saudita é indiciado por tramar atentado contra os EUA

Um estudante saudita de 20 anos foi preso no Texas sob a suspeita de tramar um atentado a bomba, possivelmente tendo como alvo o ex-presidente George W. Bush e usinas nucleares, disseram autoridades dos EUA na quinta-feira.

JAMES VICINI E JEREMY PELOFSKY, REUTERS

24 de fevereiro de 2011 | 17h47

Khalid Ali-M Aldawsari, desde 2008 com visto de estudante nos EUA, aluno de uma faculdade em Lubbock, Texas, foi preso na quarta-feira por agentes do FBI, segundo o Departamento de Justiça.

Ele foi indiciado por acusações de terrorismo, como a compra de produtos químicos e equipamentos para produzir uma bomba, com alvos potenciais que incluíam usinas nucleares. Um dos seus emails incluía o endereço de Bush em Dallas. Outro citava três militares reformados que haviam estado na prisão de Abu Ghraib, no Iraque.

Fontes oficiais disseram que aparentemente ele agia sozinho, sem ligação com um grupo militante. Autoridades norte-americanas têm manifestado preocupação com atentados cometidos por indivíduos que agem isoladamente.

Em um blog ele citou seu desejo por uma jihad violenta e pelo martírio, e na sua agenda de afazeres havia anotações como obter documentos norte-americanos falsos e alugar vários carros para esconder bombas, segundo funcionários dos EUA.

Aldawsari também enviou para si mesmo um email intitulado "A Casa do Tirano", em que listava endereços de Dallas associados a Bush, que se mudou para a cidade após deixar a Casa Branca, em 2009.

As autoridades receberam em 1o de fevereiro uma denúncia de que Aldawsari tentou comprar fenol concentrado, que tem usos legítimos, mas também pode ser matéria-prima do trinitopenol, ou ácido pícrico. A transportadora do pedido devolveu a carga e avisou a polícia. Aldawsari havia dito ao vendedor que era um universitário fazendo "pesquisa extracurricular pessoal".

Os investigadores depois descobriram que, entre dezembro e janeiro, ele havia comprado ácidos nítrico e sulfúrico, uma máscara antigás, um kit de soldagem e vários outros suprimentos para uma bomba, que aprendera a fazer pela Internet.

O suspeito, que se apresenta na sexta-feira a um tribunal do Texas, pode ser condenado à prisão perpétua.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASAUDITAATENTADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.