Segundo escolhido de Obama para Comércio desiste do cargo

Republicano Judd Gregg diz não concordar com política e programa de estímulo econômico da administração

Agências internacionais,

12 de fevereiro de 2009 | 19h36

O senador republicano Judd Gregg anunciou nesta quinta-feira, 12, que desistiu da vaga de secretário do Comércio, conforme lhe foi designado pelo presidente Barack Obama. Em nota, Gregg justificou a decisão dizendo que tem "visões diferentes em itens críticos" e "conflitos insolúveis" com a política do novo chefe de Estado, e disse não estar de acordo com o programa de estímulo econômico que o Congresso votará.    Veja também: O gabinete do presidente eleito    Gregg é o segundo político a renunciar ao posto. O anterior, o ex-governador Bill Richardson, também retirou seu nome da pasta depois do surgimento de detalhes sobre uma investigação sobre supostas irregularidades em negócios do governo do Novo México com uma empresa.   A maioria dos republicanos se opõe ao bilionário plano econômico de Obama, argumentando que o pacote contém gastos excessivos e cortes de impostos insuficientes. O político de New Hampshire era o terceiro oposicionista na nova administração.   Conservador na política fiscal e o mais graduado republicano no Comitê de Orçamento do Senado, ele só havia aceitado chefiar a secretaria com a condição de que o governador de New Hampshire, John Lynch, o substituísse por outro membro do Partido Republicano. Assim, seria mantida a atual divisão de poderes com o Partido Democrata no Legislativo.   A Casa Branca afirmou que lamentava a "mudança de opinião" do senador republicano. Em comunicado, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, explicou que durante o processo de seleção, Gregg foi muito claro dizendo que apoiaria, adotaria e faria avançar o programa do presidente.   "Uma vez que ficou claro, após sua nomeação, que o senador Gregg não ia apoiar algumas das principais prioridades econômicas do presidente Obama, fez-se necessário que a Administração e o senador Gregg tomassem caminhos diferentes", acrescentou Gibbs.   Gregg esclareceu que sua renúncia "não tem nada a ver" com o processo de análise de seu passado, ao qual são submetidos os candidatos a postos na Administração. Durante esse procedimento se descobriu que Timothy Geithner, o secretário do Tesouro, não tinha pago parte de seus impostos. O mesmo ocorreu, no início do mês, com outros dois membros da nova Casa Branca - Tom Daschle e Nancy Killefer -, gerando a primeira controvérsia do governo Obama. Após o episódio, o presidente assumiu ter errado em escolhas para o gabinete.   Atualizado às 21h28 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.