Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

'Sem dúvida outros merecem mais', diz Obama sobre Nobel

Para Casa Branca, presidente não pode ser comparado a outros laureados como Madre Teresa e Mandela

AP e Efe

10 de dezembro de 2009 | 08h50

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira, 10, que outros mereciam mais o Prêmio Nobel da Paz do que ele. O americano discursa hoje, às 10h, em Oslo, na Noruega, na cerimônia de entrega do prêmio.    

"Eu não tenho dúvida de que há outros que devem merecer mais" o prêmio, disse Obama em entrevista coletiva conjunta ao lado do primeiro-ministro norueguês, Jens Stoltenberg. O presidente acrescentou que ficou surpreso com o fato de ser apontado como vencedor, em outubro.

Obama se comprometeu, porém, a trabalhar para implementar sua política externa, incluindo a busca por uma paz duradoura, a segurança mundial e a estabilização do Afeganistão. Outras prioridades anunciadas por ele são o combate à mudança climática e a redução das armas nucleares.

"A meta não é ganhar um concurso de popularidade ou receber um prêmio, mesmo um prestigioso como o Prêmio Nobel da Paz. O objetivo é avançar nos interesses da América", disse ele.

"Se eu tiver sucesso nessas tarefas, então espero que parte das críticas diminuirá, mas essa não é na verdade minha preocupação", afirmou Obama. "Se não tiver sucesso, então os elogios e prêmios não esconderão esse fato."

Ontem, a Casa Branca disse que Obama não pode ser comparado com outros laureados pelo prêmio, como Madre Teresa de Calcutá ou Nelson Mandela.

"O presidente compreende e sabe que não está no mesmo nível do ex-presidente sul-africano ou da fundadora da Ordem das Missionárias da Caridade na Índia, a Madre Teresa", explicou o porta-voz Robert Gibbs.

A Casa Branca respondeu  às críticas pelo fato de que Obama receberá o prêmio poucos dias após ter anunciado o envio de mais 30 mil soldados americanos ao Afeganistão, que se somarão a um contingente que conta com mais de 60 mil homens e mulheres.

Por sua vez, o conselheiro-adjunto de Segurança Nacional da Casa Branca e redator dos discursos de Obama, Ben Rhodes, afirmou que o presidente americano sente que a concessão do Nobel "representa uma responsabilidade".

Segundo Rhodes, Obama explicará em seu discurso pelo recebimento do prêmio sua percepção de como os EUA devem liderar o mundo e dirá que todos os países devem contribuir, ainda que de forma simples, para a promoção da paz.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaNobel da Paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.