Senado aprova emendas da reforma do sistema de saúde dos EUA

Mudanças agora vão para Câmara dos Representantes para votação final

Reuters

25 de março de 2010 | 15h43

WASHINGTON - O Senado dos EUA aprovou na tarde desta quinta-feira, 25, o pacote de mudanças no projeto de reforma do sistema de saúde proposto pelo presidente Barack Obama e enviou o documento para a votação final na Câmara dos Representantes.

 

Veja também:

linkDemocratas são ameaçados após aprovação

linkObama viaja para explicar reforma a eleitores

especialA reforma da saúde do início ao fim

especialEntenda a reforma no sistema de saúde

 

As mudanças são as últimas que devem ocorrer na lei já assinada pelo presidente, que nesta quinta deu início a uma viagem pelo país para explicar e fazer propaganda da reforma, sua prioridade doméstica até agora no mandato.

 

A Câmara deve aprovar as emendas ainda nesta quinta e enviar para o presidente sancioná-las, concluindo inteiramente o debate político de mais de um ano sobre a cobertura dos planos de saúde nos EUA.

 

"Essa foi uma batalha legislativa que será registrada nos livros", disse Harry Reid, líder democrata do Senado, antes da aprovação das emendas. As mudanças que passaram pela casa incluem a expansão de subsídios, principalmente para as famílias de baixa renda.

 

A reforma custará US$ 2,5 trilhões aos cofres americanos e é considerada um marco histórico na política social do país, sendo a primeira mudança dessa dimensão no sistema de saúde em 40 anos. Ela fará com que mais 32 milhões de americanos recebam cobertura dos planos de saúde e barrará as companhias de praticar abusos contra os assegurados.

 

A reforma foi aprovada no domingo por 219 votos a favor e 212 contra, mas só ocorreu após serem feitas duas correções no texto a pedido de alguns senadores democratas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.