Senado dos EUA aprova sanções contra banco central do Irã

O Senado dos Estados Unidos aprovou por unanimidade na quinta-feira à noite sanções mais duras contra o Irã, as quais penalizam as instituições financeiras estrangeiras que fizerem negócios com o banco central iraniano, principal receptor das receitas do país com a venda de petróleo.

REUTERS

02 de dezembro de 2011 | 07h47

O Senado tomou a decisão apesar de autoridades do governo dos EUA terem alertado que a ameaça a aliados norte-americanos não seria a melhor maneira de obter sua cooperação em medidas contra o Irã.

Altos funcionários do governo do presidente Barack Obama disseram estar analisando sanções contra o banco central do Irã, mas de um modo comedido, para evitar prejudicar o mercado petrolífero ou contrariar aliados.

Os EUA já proíbem suas instituições financeiras de negociar com o banco central iraniano. Portanto, as novas sanções têm como objetivo dissuadir bancos estrangeiros, ao ameaçar cortá-los do sistema financeiro norte-americano.

As novas restrições foram aprovadas como parte de uma emenda de um enorme orçamento da defesa aprovado na noite de quinta-feira. Medidas semelhantes foram endossadas por um comitê da Câmara dos Deputados, aumentando a probabilidade de que a proposta seja enviada a Obama para sanção ou veto.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASENADOIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.