Senado dos EUA autoriza Obama a ampliar sanções contra o Irã

Sem capacidade de refino, Teerã importa 40% da gasolina que consome; medida será debatida no plenário

Efe,

30 de outubro de 2009 | 08h08

O comitê sobre questões bancárias, habitacionais e urbanas do Senado dos Estados Unidos aprovou na quinta-feira, 29, um projeto que autoriza o presidente do país, Barack Obama, a aumentar as sanções contra o Irã por não aceitar suspender seu programa de desenvolvimento nuclear.

 

A iniciativa foi aprovada por 23 votos a favor e nenhum contra e é similar a outra aprovada na quarta-feira por um comitê da Câmara de Representantes sobre sanções a empresas estrangeiras que vendem gasolina ao Irã.

 

Apesar de o Irã ser um dos maiores produtores de petróleo do mundo, o país importa mais de 40% da gasolina de que necessita para o consumo interno por não ter capacidade de refino.

 

Segundo fontes do Legislativo americano, a medida aprovada pelo comitê do Senado autorizaria o governo dos EUA a retirar investimentos em empresas que mantenham contatos comerciais com o Irã, congelaria os ativos de iranianos nos EUA e puniria as companhias que exportam tecnologia ao Irã. As fontes acrescentaram que, após sua aprovação, a iniciativa deve ser agora debatida no plenário do Senado.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUAprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.