Senado marca para dia 31 sabatina de indicado de Obama para Defesa

Chuck Hagel, indicado do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para o cargo de secretário de Defesa, será sabatinado pelo Senado para sua confirmação no cargo em 31 de janeiro, anunciou uma comissão da Casa nesta quarta-feira.

Reuters

16 de janeiro de 2013 | 18h44

O anúncio do Comitê de Serviços Armados do Senado acontece um dia depois de a nomeação de Hagel receber apoios cruciais de dois senadores democratas com posições favoráveis a Israel, que disseram estar menos preocupados em relação às posições de Hagel sobre o Estado judeu, o Irã e outras questões.

Obama nomeou Hagel em 7 de janeiro para substituir o atual secretário de Defesa, Leon Panetta, que está deixando o cargo. A indicação provocou oposição ferrenha de alguns parlamentares republicamos e de grupos pró-Israel.

Hagel, um senador pelo Estado de Nebraska entre 1997 e 2009 e veterano condecorado da Guerra do Vietnã, se distingue de seus colegas republicanos por sua oposição à guerra liderada pelos Estados Unidos no Iraque.

Ele também teve seu nome especulado como possível escolha de Obama para compor sua chapa como candidato a vice-presidente em 2008.

Até mesmo alguns democratas expressaram preocupações sobre temas como as posições de Hagel em relação às sanções impostas ao Irã e pelo fato de que ele não seria um forte apoiador de Israel.

Hagel tem telefonado e se reunido com senadores para discutir as preocupações dos parlamentares antes da sabatina, mas vários republicanos, incluindo alguns do Comitê de Serviços Armados, já anunciaram que são contra a nomeação dele.

O Senado votará a nomeação de Hagel após a sua sabatina no comitê. Os democratas controlam 55 cadeiras no Senado e Hagel precisa de 60 votos para evitar eventuais obstáculos regimentais dos republicanos e garantir sua nomeação.

(Reportagem de Patricia Zengerle e Phil Stewart)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHAGELSABATINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.