Senador dos EUA admite ´pecado´ em caso de prostituição

Telefone do político republicano aparece em lista de clientes de famosa rede de Washington

BBC

10 Julho 2007 | 10h55

Um senador republicano pediu desculpas por um "pecado muito sério do passado" depois que seu número de telefone apareceu relacionado a uma grande rede de prostituição em Washington. David Vitter, do Estado de Louisiana, diz que pediu e tem recebido o perdão de Deus e de sua esposa. Deborah Palfrey, mais conhecida como "Madame DC", é acusada de gerenciar uma lucrativa rede de prostituição por mais de 13 anos. Em sua defesa, Palfrey diz que sempre ofereceu serviços legalizados de acompanhante e poderia ligar para seus clientes para confirmar. O senador confirmou, por meio de seu porta-voz, que seu número havia aparecido nas gravações telefônicas publicadas no website da acusada na última segunda, 9. As gravações datam de 2004, ou seja, antes de Vitter chegar ao senado. Clientes alto-nível Em sua declaração, o senador não detalhou qual seria exatamente o "pecado", afirmando que prefere manter a privacidade e respeito por seus familiares. "Este é um sério pecado em meu passado do qual, sem dúvida, eu sou completamente responsável." "Anos atrás, eu pedi e recebi o perdão de Deus e de minha esposa em uma confissão e aconselhamento matrimonial." Ele completou que ofereceu suas "profundas e sinceras desculpas" a todos que ele desapontou. A lista de clientes de "alto-nível" de Deborah ainda contam com nomes como o ex-funcionário da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (Usaid, sigla em inglês) Estado Randall Tobias, que renunciou logo após a confirmação de que ele estaria envolvido com a rede.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.