Senador dos EUA diz que fotos de Bin Laden são 'repulsivas'

Um senador republicano do Comitê de Forças Armadas do Senado norte-americano que viu as fotos do corpo de Osama bin Laden na quarta-feira disse que as imagens, algumas repulsivas, não deixavam dúvidas de que o líder da Al Qaeda está morto.

REUTERS

12 de maio de 2011 | 10h32

"Não há absolutamente nenhuma dúvida sobre isso. Muitas pessoas por aí dizem 'queremos ver as fotos', mas eu já vi. Era ele. Ele está morto. Ele já era", disse James Inhofe, senador de Oklahoma, à CNN.

Inhofe disse ter visto 15 fotografias, nove delas tiradas no local do ataque no início deste mês contra um complexo em Abbottabad, no Paquistão, outras três tiradas no porta-aviões U.S.S. Vinson, onde o corpo de Bin Laden foi preparado para seu sepultamento no mar, e mais três fotos antigas para comparação e identificação positiva do líder da Al Qaeda.

"São repulsivas, é claro, por que foram tiradas logo após o incidente", disse Inhofe em entrevista separada à Fox News.

Inhofe descreveu algumas fotos que mostravam material cerebral saindo pela cavidade do olho. O senador, que defende a divulgação das fotos, disse que não mudou de ideia após ver as imagens.

Inhofe disse acreditar que ao menos duas fotos tiradas do U.S.S Vinson, que mostram o corpo sendo limpo, deveriam ser divulgadas porque retratam Bin Laden de forma facilmente identificável.

"Não acredito no conceito que está sendo apresentado pela Casa Branca... que você poderá irritar os terroristas", disse Inhofe.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, decidiu não divulgar as fotos de Bin Laden morto por acreditar que podem incitar a violência e ser usadas pela Al Qaeda como instrumento de propaganda.

A CIA ofereceu na terça-feira mostrar as fotos aos membros dos comitês das Forças Armadas e Inteligência da Câmara dos Deputados e do Senado. Inhofe foi o primeiro membro do Senado a aceitar o proposta da agência.

(Reportagem de JoAnne Allen)

Tudo o que sabemos sobre:
EUASENADORBINLADENFOTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.