Senador dos EUA envolvido em escândalo anuncia renúncia

Larry Craig havia antecipado na sexta-feira que apresentaria sua renúncia, após ser pressionado nesta semana

REUTERS

01 de setembro de 2007 | 14h49

O senador Larry Craig (Partido Republicano/Idaho) renunciou ao cargo neste sábado, 1º, dias depois de ter sido revelada sua prisão, em junho, por ter tentado comprar serviços sexuais de outro homem em um banheiro de aeroporto. "É com tristeza e lamentando profundamente que anuncio que é minha intenção renunciar do Senado a partir de 30 de setembro. Peço desculpas pelo que causei", disse Craig. O líder da minoria republicana no Senado dos EUA, Mitch McConnell, disse que Craig "tomou uma decisão difícil, mas correta. Minha esperança é de que ele seja lembrado não por isso, mas por suas três décadas de dedicação ao serviço público". O porta-voz de Craig, Sidney Smith, disse não saber se o senador voltará ao Senado nesta semana, quando termina o recesso legislativo de verão. Craig admitiu culpa na acusação de conduta imprópria em uma investigação secreta a respeito de comportamento obsceno no banheiro masculino de um aeroporto. Craig esteve sob pressão para renunciar durante toda a semana. Na última quarta-feira, 31, o senador concordou em resignar ao cargo de líder republicano em diversas comissões do Senado após receber pressão de seu partido. Importantes membros do partido apontavam o escândalo como prejudicial para as políticas adotadas e pediam sua renúncia.  Craig havia sido preso em junho por conduta lasciva homossexual, por um policial à paisana, que o acusou de gestos impróprios em um banheiro masculino do aeroporto de Minneapolis. Na terça, 28, foi requisitada uma Comissão de Ética para investigar a prisão de Craig, no dia 11 de junho, e a declaração de culpa no dia 8 de agosto. "Eu não sou gay, eu nunca fui gay", disse ele na terça-feira, ao lado de sua mulher. Eles têm três filhos. O senador foi liberado no mesmo dia de sua detenção após pagar US$ 500 de multa e mostrar as credenciais de senador. O governador republicano de Idaho, C.L. "Butch" Otter, escolherá um sucessor para terminar o mandato de Craig, que vai até o ano que vem. Otter deve escolher um republicano, mantendo assim a atual correlação de forças no Senado, onde os democratas têm o controle com 51 senadores contra 49 republicanos.

Tudo o que sabemos sobre:
EUASENADOR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.