Senador Ted Kennedy é hospitalizado nos EUA

Irmão do ex-presidente americano assassinado em 1962 é internado às pressas com convulsões

REUTERS

17 de maio de 2008 | 13h22

O senador Edward Kennedy, importante líder democrata e cabeça de uma proeminente dinastia política nos Estados Unidos, foi hospitalizado em Boston, neste sábado, 17, aparentemente após ter sofrido convulsões, informou seu escritório. A porta-voz do senador democrata de 76 anos, Stephanie Cutter, explicou que tudo indica que Edward não sofreu um derrame cerebral, como se temia inicialmente. A CNN noticiou anteriormente que Kennedy foi levado ao Massachusetts General Hospital em Boston com sintomas de um derrame, citando uma importante, mas não identificada fonte do partido. Os médicos fizeram exames para determinar a causa das convulsões, afirmou Cutter, que acrescentou que Kennedy está descansando "confortavelmente" e que antes das próximas 48 horas é improvável que se saiba mais sobre seu estado de saúde. De acordo com Cutter, Kennedy foi internado no começo desta manhã no hospital de Cape Cod após "se sentir indisposto em sua casa" de Hyannisport.   O veterano senador por Massachusetts é uma importante voz liberal de apoio a Barack Obama em sua tentativa de obter a indicação do Partido Democrata para disputar a Presidência da República nas eleições de novembro.   Edward passou por uma cirurgia preventiva em Boston em outubro para desobstruir a artéria carótida, que estava parcialmente obstruída em seu pescoço. O bloqueio foi descoberto durante exames de rotina de suas costas e espinha, disse seu médico. A artéria obstruída pode levar a um derrame e à morte. Edward tem sofrido de problemas nas costas e na espinha desde um acidente de avião em 1964, no qual o piloto e um de seus assessores morreram e o senador foi retirado dos destroços ferido nas costas, com um pulmão perfurado, costelas quebradas e hemorragia interna.   A notícia de sua entrada no hospital causou uma grande comoção entre os políticos dos Estados Unidos e vários veículos de comunicação foram ao Hospital Geral. O aspirante democrata à Presidência dos Estados Unidos Barack Obama, que recebeu no final de janeiro o apoio de Ted Kennedy para sua campanha eleitoral, ligou para a família do senador. "Ted Kennedy é um gigante na história da política americana", afirmou Obama. Já o candidato republicano John McCain, afirmou que Kennedy é um "legislador lendário". O senador John Kerry, ex-candidato presidencial do Partido Democrata, foi ao hospital para ficar com a família de Ted Kennedy.   Patriarca do "clã" político mais famoso dos Estados Unidos, Ted é o único sobrevivente de seus irmãos: o mais velho deles, Joseph, morreu em um acidente de avião na Segunda Guerra Mundial; o ex-presidente John F. Kennedy foi assassinado em 1963; e o terceiro, Robert, foi morto em 1968. Edward  é o segundo parlamentar que mais tempo serviu no Senado americano e atualmente serve como presidente do Comitê de Saúde, Educação, Trabalho e Pensões. Ele ajudou a garantir um aumento do salário mínimo nacional este ano e trabalhou com republicanos para produzir uma ampla reforma sobre imigração, que não conseguiu ser aprovada no Senado devido à ferrenha oposição de republicanos conservadores.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAKENNEDYATUALIZA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.