Senador Ted Kennedy se recupera bem após cirurgia

Nota do hospital diz que democrata chegou a caminhar nos corredores após retirada de tumor no cérebro

Agência Estado e Associated Press,

03 de junho de 2008 | 14h05

O senador Edward Kennedy teve uma "relaxante noite de sono" e andava pelos corredores do hospital nesta terça-feira, 3. Um dia antes, Ted Kennedy, como é conhecido, submeteu-se a uma invasiva cirurgia no cérebro, para tirar parte de um tumor - isso daria maior chance de sucesso aos tratamentos com quimioterapia e radioterapia.   Veja também: Veja o perfil do senador Ted Kennedy   O senador, de 76 anos, é irmão do falecido presidente John F. Kennedy. Ele deve permanecer no Centro Médico da Universidade Duke, em Durham, por uma semana. Em seguida, deve voltar a Massachusetts para outros tratamentos. Um comunicado informou que não haveria novos boletins sobre as condições de Ted Kennedy até a saída dele do hospital. O texto dizia ainda que o político "estava se recuperando bem do procedimento de ontem (segunda-feira)".   Os médicos diagnosticaram um neuroglioma, no lobo parietal esquerdo do cérebro. No dia 17 de maio ele sofreu uma convulsão - os testes foram realizados em seguida. Nos próximos dias, Kennedy deve tomar remédios para evitar eventuais complicações da cirurgia. Segundo os médicos, ele não deve ter nenhuma seqüela neurológica permanente da intervenção cirúrgica realizada na segunda-feira.   O senador democrata é o único sobrevivente dos quatro irmãos Kennedy - Joseph morreu em um acidente de avião em 1944, durante a 2ª Guerra; o presidente John foi assassinado em 1963; e o senador Robert foi morto em 1968. Ted foi eleito em 1962 e está em seu oitavo mandato. Ele é o segundo senador americano há mais tempo no cargo - depois do democrata Robert Byrd, de 90 anos, no Senado desde 1959.   No Senado, Ted se destacou por ter participado de votações históricas, como o Ato de Direitos Civis, de 1964, e por sua defesa de temas populares entre a ala mais à esquerda do Partido Democrata, como o salário-mínimo e seguro-saúde. Ele também se destacou por procurar implementar projetos de lei que contaram com o apoio de membros da oposição republicana. Ele foi o co-autor de um malogrado plano de imigração, defendido por ele e pelo também senador e candidato presidencial John McCain.   Em 1980, Ted Kennedy entrou na corrida para a Casa Branca, mas foi derrotado pelo então presidente Jimmy Carter na disputa pela candidatura democrata. Sua candidatura foi prejudicada pela polêmica em torno de um acidente de carro que ele sofreu em 1969 em Chappaquiddick, uma pequena ilha próxima do balneário de Martha's Vineyard. O carro que ele dirigia caiu de uma ponte. Sua assessora Mary Jo Kopechne morreu no acidente. Kennedy deixou o local e só avisou as autoridades no dia seguinte. Analistas consideram que a controvérsia sobre a responsabilidade de Kennedy e sua demora em comunicar o acidente às autoridades sepultou qualquer chance de o democrata chegar à Presidência.

Mais conteúdo sobre:
Ted KennedyEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.