Senadores dos EUA querem bloqueio de vendas de armas para Opep

Democratas no Senado norte-americanointensificaram os ataques aos produtores de petróleo da Opep naquinta-feira, ameaçando o bloqueio das vendas bilionárias dearmas a fornecedores como a Arábia Saudita, se eles não tomaremação para conter os preços recordes da commodity. Os senadores democratas Charles Schumer de Nova York, ByronDorgan, de Dakota do Norte e outros pediram que a Casa Brancause sua influência para convencer os membros da Opep(Organização dos Países Exportadores de Petróleo) a impulsionara produção ou "arriscar que o Congresso suspenda negociações dearmas com a Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e outrosmembros da Opep", de acordo com uma declaração dosparlamentares. "O governo Bush recusou-se a endurecer com os chamadosaliados da Opep e continua providenciando negociações enormesde armas, mesmo com os prejuízos econômicos sofridos peloscontribuintes", declararam os senadores. O governo do presidente George W. Bush está em uma posiçãodelicada nas políticas em relação ao Oriente Médio, e o preçorecorde do petróleo, que chega perto de 120 dólares por barril,é apenas uma de muitas questões complicadas na região. O presidente George W. Bush tem pedido repetidamente aosmembros da Opep para que aumentem a produção, mas também tentacompensar a influência iraniana na região através da venda dearmas. O plano dos parlamentares é "a aproximação errada quandotratamos de nossa segurança e de nossa energia", disse oporta-voz da Casa Branca Scott Stanzel, criticando osdemocratas pelo bloqueio aos planos de extração de petróleo numrefúgio de vida selvagem do Alasca. "Vendas de armas para os nossos aliados são feitas poiseles estão nos interesses de segurança nacional, e não por queeles são crianças barganhistas", disse. O governo Bush notificou o Congresso de que planeja venderà Arábia Saudita kits de orientação de bombas no valor de 120milhões de dólares. A administração de Bush ainda quer vender ao Kuwait e aosEmirados Árabes Unidos sistemas avançados anti-mísseis, comoparte de um pacote de armas de 10 bilhões de dólares paraEstados árabes. Grandes produtores da Opep como a Arábia Saudita culpam afalta de capacidade de refinamento, e não a falta de estoques,pelos altos preços do petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.