Sentença de morte à iraniano é 'lastimável', diz Hillary

As sentenças de morte impostas pelo Irã para manifestantes que participaram dos protestos após as controversas eleições em junho são infelizes e lastimáveis, afirmou a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, nesta quinta-feira.

REUTERS

19 Novembro 2009 | 15h33

A agência de notícias estatal iraniana informou na terça-feira que cinco pessoas foram condenadas à morte pelos protestos após a eleição, e outras 81 foram sentenciadas a até 15 anos de prisão.

Os protestos, com partidários de candidatos da oposição que acusam as autoridades de irregularidades no pleito, foram os piores desde a revolução islâmica, em 1979.

"É um fato muito infeliz e lastimável ver estas sentenças no Irã, impondo a pena de morte para pessoas que expressaram sua oposição ao governo em demonstração nas ruas", disse Clinton a repórteres em Cabul.

"Isto enfatiza a posição que o governo do Irã toma para sua própria população", afirmou.

"Continuaremos a defender os direitos das pessoas do Irã de falar por elas, de ter seus votos contados, de ter a oportunidade de ter liberdades e direitos que qualquer pessoa merece ter", disse Clinton, que visita o Afeganistão para participar da posse do presidente Hamid Karzai.

(Por Jonathon Burch)

Mais conteúdo sobre:
EUA IRA MORTE COMENTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.