Sexo, sangue e nome de bebê, tudo por gasolina grátis nos EUA

Cansados de pagar caro por combustível, motoristas parecem dispostos a tudo; bordel dá créditos em gasolina

Reuters,

18 de julho de 2008 | 12h40

Alguns motoristas norte-americanos, cansados de pagar caro pela gasolina, parecem dispostos a fazer quase tudo para conseguir combustível de graça, desde abrir mão do direito de escolher o nome de seus filhos até roubar de creches ou doar sangue. Em Orlando (Flórida), David Partin prometeu dar a seu filho o nome do apresentador de um programa de rádio da cidade para conseguir um cupom de US$ 100 de gasolina como resultado de um concurso. Partin receberá o cartão somente em dezembro (quando o filho nascer), mediante a apresentação da certidão de nascimento provando que o nome do bebê é Dizon Willoughby Partin.   "A mulher dele disse que vai ser problema dele explicar para o filho o porquê do nome quando o menino for mais velho", disse à Reuters Greg Stevens, diretor de programação da rádio WHTQ-FM. No bordel Shady Lady Ranch, em Beatty (Nevada), os clientes que gastarem  US$ 300 ou mais neste mês receberão US$ 50 em gasolina como parte de uma promoção criada para enfrentar a queda de movimento durante o verão.   "Está fazendo sucesso. Estamos nos saindo muito bem. Os meses de junho e julho não costumam ser muito bons", afirmou James Davis, co-proprietário do estabelecimento com sua mulher, Bobbi. Os primeiros US$ 1.000 em cartões de gasolina saíram na primeira semana da promoção, disse.    Em Mesquite (Texas), ladrões drenaram o equivalente a US$ 100 de gasolina de um ônibus usados pela creche da Igreja Higher Ground. Outras quatro ou cinco frotas de ônibus de creches da região foram vítimas do mesmo crime.   "Tratava-se de alguém desesperado", disse James Green, pastor da igreja. "Bastava, porém, que viesse até nós e que nos pedisse. Nós teríamos pagado para encher o tanque dele." A Cruz Vermelha dos EUA, enquanto isso, criou uma rifa de verão por meio da qual os doadores de sangue concorrem a um ano de fornecimento gratuito de gasolina.   Na Paróquia St. Ann, em West Bridgewater (Massachusetts), o reverendo Edward McDonagh decidiu fazer o sorteio de um cartão de US$ 50 de gasolina a cada semana, durante a missa. Os sorteios são um gesto simbólico e não pretendem fazer aumentar o número de fiéis, disse. "Quando Jesus esteva nas bodas de Canaã, o noivo ficou sem vinho e ele fez mais vinho para todo mundo", afirmou. "Seguindo esse espírito, sentimos que isso seria comparável."  

Tudo o que sabemos sobre:
EUAgasolina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.