Sindicatos dos EUA chegam a acordo sobre imigração; reforma avança

Os principais sindicatos de empresas e trabalhadores chegaram a um acordo sobre um programa de trabalhador-convidado que retira um dos principais obstáculos para uma reformulação geral das leis de imigração e abre caminho para que a legislação do Senado seja apresentada em breve, disse no sábado uma fonte familiarizada com o acordo.

STEVE HOLLAND, Reuters

30 de março de 2013 | 18h04

O acordo foi fechado na sexta-feira a noite entre o presidente da Câmara do Comércio dos EUA, Tom Donohue, e o presidente da AFL-CIO, organização trabalhista, Richard Trumka, e com o deputado democrata de Nova York, Chuck Schumer atuando como mediador, disse a fonte que falou sob condição de anonimato.

O programa de trabalhador-convidado tem sido o grande obstáculo aos esforços de um grupo bipartidário de senadores conhecido como a Turma dos Oito, para chegar a um acordo sobre uma forma de criar um caminho para a cidadania para os 11 milhões de imigrantes ilegais dos EUA.

Os sindicatos temem que uma onda de trabalhadores imigrantes de baixo custo tire o emprego dos americanos. O acordo protege os níveis salariais para os trabalhadores temporários menos qualificados e o tipo de trabalhos que serão incluídos.

Schumer informou ao Chefe de Gabinete da Vasa Branca, Denis McDonough no sábado sobre o progresso, disse a fonte.

O acordo ainda precisa ser aprovado pela Turma dos Oito senadores. Se eles aprovarem, como se espera que façam, a legislação do senado sobre uma nova e ampla lei de imigração poderia avançar no senado nas próximas semanas.

Mais conteúdo sobre:
EUASINDICATOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.