Sobe a 22 número de mortos na Alemanha por infecção 'E. Coli'

Instituto Robert Koch de Berlim disse que 15 das 22 vítimas morreram afetadas pela síndrome e 7 por causas derivadas da grave infecção, que até o momento afetou cerca de duas mil pessoas no país

Efe,

07 de junho de 2011 | 03h52

BERLIM - O número de mortos na Alemanha como consequência do surto de 'E. coli' subiu a 22, anunciou nesta terça-feira, 7, o Instituto Robert Koch de Berlim, que não deu detalhes sobre a identidade da última vitima fatal.

 

O instituto precisou que 15 das 22 vítimas morreram afetadas pela síndrome hemolítica-urêmica (SUH) e sete por outras causas derivadas da grave infecção, que até o momento afetou cerca de duas mil pessoas na Alemanha e cuja origem continua sendo um mistério.

 

O organismo acrescentou que as mortes se concentram em estados da metade norte do país, com, entre outras, seis mortes na Baixa Saxônia, cinco em Schleswig-Holstein, quatro na Renânia do Norte-Vestfália e três em Hamburgo.

 

A ministra de Agricultura e Defesa do Consumidor alemã, Ilse Aigner, rejeitou as críticas contra as autoridades alemãs por sua ineficiente gestão da crise e até por informações contraditórias.

"Na atual situação, trabalhamos todos juntos", afirmou Ilse em entrevista à cadeia de televisão pública alemã "ARD".

 

Apesar dos primeiros testes realizados em uma fazenda de sementes germinadas da Baixa Saxônia terem sido negativos, o ministério competente insistiu que se mantêm as suspeitas de que essa empresa pode ser o foco principal da doença.

 

As autoridades sanitárias desse estado informaram na segunda-feira, 6, da ausência de "E. coli" nas primeiras 23 mostras de brotos vegetais analisados, às espera dos resultados de outras 17 análises que podem ser divulgadas nesta terça-feira.

 

Enquanto isso, o Ministério federal de Agricultura e Defesa do Consumidor mantém o alerta e recomenda não consumir brotos vegetais crus, assim como tomates, pepinos e alfaces ou outras verduras cruas para saladas no norte do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.