Reuters
Reuters

Sonia Sotomayor, latina do Bronx que reflete sonho americano

Filha de pais porto-riquenhos, juíza de 54 anos está prestes a se tornar a primeira hispânica na Suprema Corte

Neil A. Lewis, The New York Times

26 de maio de 2009 | 18h33

Sonia Sotomayor, que se tornou a primeira juíza hispânica na Suprema Corte dos Estados Unidos, traz para a experiência de confirmação o tipo de história pessoal rica que sempre foi profundamente gratificante para os americanos, a jornada de uma origem humilde a uma posição respeitada de grande influência. A juíza Sotomayor, de 54 anos, cresceu em Bronxdale Houses, filha de país que se mudaram de Porto Rico para Nova York durante a 2ª Guerra Mundial. Seu pai, que trabalhava como soldador, morreu quando ela tinha 9 anos, deixando sua mãe para criar ela e um irmão.

 

Veja também:

linkObama indica hispânica para a Suprema Corte

 

Em discursos a grupos latinos ao longo dos anos, a juíza Sotomayor falou de como sua mãe trabalhava seis dias por semana como enfermeira para enviar os filhos à igreja católica, comprou a única enciclopédia do bairro e mantinha uma panela com arroz e feijão aquecida no fogão todos os dias para seus amigos. A jovem Sonia adorava os romances policiais de Nancy Drew, ela recordou um dia, e sonhava em ser uma investigadora policial. Mas um médico que diagnosticou sua diabetes na infância sugeriu que isso seria difícil.

 

Sotomayor contou que converteu então sua adoração pela literatura de Nancy numa lealdade à série Perry Mason da televisão e decidiu se tornar advogada. Ela descreveu sua ida à Universidade de Princeton, onde se formou com máximo louvor em 1976, como uma experiência transformadora. Quando chegou ao campus vinda do Bronx, ela disse que se sentiu como "uma visitante pousando num país estrangeiro". Ela nunca levantou a mão em seu primeiro ano ali. "Eu me sentia muito envergonhada e intimidada para fazer perguntas", disse certa vez a juíza Sotomayor.

 

"Passei meus anos desde Princeton numa faculdade de direito e em meus vários empregos profissionais sem me sentir por completo uma parte do mundo que habito", disse ela, acrescentando que, a despeito de suas realizações, "eu estava sempre olhando por cima do ombro me perguntando se estaria à altura."

 

Sotomayor foi para a Faculdade de Direito de Harvard, trabalhou no escritório do procurador distrital em Manhattan e dedicou algum tempo a um escritório de advocacia privado antes de ser nomeada para a magistratura. No Tribunal de Circuito, ela esteve envolvida em algumas questões polêmicas como o aborto.

 

Algumas de suas decisões mais notáveis vieram em casos de custódia de crianças e comerciais complexos. Seu caso de maior ressonância envolveu a decisão em New Haven para anular testes usados para avaliar candidatos à promoção no Corpo de Bombeiros porque não havia candidatos de minorias no topo da lista.

 

A juíza participou de um conselho que rejeitou a objeção trazida por bombeiros brancos que tiveram pontuação alta, mas foram preteridos na promoção. O caso produziu uma polêmica acalorada no Tribunal de Circuito, e seu antigo mentor, o juiz Jose Cabranes, criticou fortemente o ponto de vista de Sotomayor. O caso tramita atualmente na Suprema Corte e poderá perfeitamente ser um alvo de críticos republicanos durante o processo de confirmação.

 

Sotomayor casou-se antes de se formar na faculdade e se divorciou alguns anos depois. Sua diabetes, que a obriga a tomar insulina diariamente, não tem sido um problema, mas alguns especularam se a sua doença poderia ou deveria ser uma questão em termos de sua longevidade projetada no tribunal, por causa do potencial de complicações. Alguns advogados descreveram seus modos em tribunal como bruscos, mas muitos outros disseram em entrevistas que isso se deve apenas a seu estilo direto de nova-iorquina.

 

O juiz Martin Glenn, um veterano advogado de apelações que compareceu muitas vezes diante dela, disse que ela amplamente considerada como uma excelente juíza. Ele acrescentou que os advogados geralmente a veem como uma representante do que chamam de "magistratura quente", significando com isso que as perguntas chegam rápidas e veementes, e os advogados devem estar perfeitamente preparados para elas.

Tudo o que sabemos sobre:
Sonia SotomayorEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.