Suposto homem-bomba invade comitê eleitoral de Hillary

Escritório de campanha de pré-candidata democrata é tomado por homem que teria artefato atado ao corpo

Reuters,

30 de novembro de 2007 | 16h58

Um homem que alega ter uma bomba atada a seu corpo invadiu sexta-feira, 30, um comitê de campanha da pré-candidata democrata à Presidência dos EUA Hillary Clinton na cidade de Rochester, Estado New Hampshire. Os relatos iniciais davam conta de que o suspeito teria feito um número indefinido de reféns. Não está claro, no entanto, quantas pessoas permanecem no local. Cobertura ao vivo (em inglês)   Em entrevista coletiva cerca de quatro horas após o início do cerco, o chefe da polícia de Rochester disse que não daria informações sobre o número de pessoas que permanecem com o seqüestrador, pois as "investigações continuam em andamento". Segundo ele, no entanto, é possível que haja reféns no local.  Hillary, que está no Estado da Virgínia para atos de campanha, não estava no escritório de New Hampshire no momento do incidente. Unidades antibomba estão posicionadas no local.  Segundo o policial Michael Hambrook, o homem entrou no escritório por volta das 13 horas locais e ordenou que todos deitassem no chão. Uma mulher que estava com uma criança de colo foi autorizada a deixar o local. De acordo com um funcionário da campanha de Hillary, as pessoas mantidas reféns eram voluntários da campanha.  "Uma moça com um bebê de seis ou oito meses entrou correndo na loja em prantos e disse 'vocês precisam ligar para o 911. Um homem acabou de entrar no escritório da Hillary, abriu o casaco e mostrou uma bomba atada a seu peito com fita isolante", disse uma testemunha à emissora WMUR.  Cerca de duas horas após o início do seqüestro, uma mulher vestida com um casaco verde foi vista deixando o prédio acompanhada por um membro da força de elite da Swat. Forças de segurança fortemente armadas cercaram e introduziram cabos de comunicação na entrada do prédio instantes antes da liberação da refém. Não está claro, no entanto, se o homem fez alguma demanda ou se os cabos foram utilizados para facilitar a comunicação com o suspeito. De acordo a imprensa local, o suposto homem-bomba teria aproximadamente 40 anos, cabelos ruivos e seria uma pessoa conhecida localmente como portador de distúrbios mentais. Segundo a rede ABC, ele teria dito a seu filho "assista ao noticiário", numa suposta antecipação dos eventos da tarde desta sexta-feira.  Hillary iria discursar na tarde desta sexta-feira durante a reunião do Comitê Nacional Democrata em Vienna, no Estado de Virginia, mas o pronunciamento foi cancelado por causa dos acontecimentos em Rochester.  "Estamos em contato com as autoridades locais", disse Hillary em uma nota divulgada à imprensa. "Divulgaremos mais detalhes quando for apropriado." O pequeno escritório de campanha da candidata e senadora pelo Estado de Nova York fica em um distrito comercial e possui grandes janelas de vidro com uma faixa de campanha na frente.  Funcionários do comitê de campanha do também pré-candidato democrata Barack Obama, a quatro portas de distância do escritório de Hillary, também abandonaram o local. Texto atualizado às 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.