Reprodução
Reprodução

Suspeito de atentado falido em Times Square se declara culpado

Faisal Shahzad foi acusado de ter tentado explodir carro-bomba em praça de Nova York

Reuters e Associated Press,

21 de junho de 2010 | 18h38

NOVA YORK-O paquistanês com nacionalidade americana acusado de tentar detonar um carro-bomba em Times Square se declarou nesta segunda-feira, 21, culpado de crimes relacionados ao terrorismo.  

 

A declaração de culpa de Shahzad não foi imediatamente aceita pela juíza Miriam Goldman Cedarbaum, que fez uma série de questões ao paquistanês para se certificar de que ele tinha pleno entendimento de seus direitos. Ela o perguntou se ele entendia que poderia passar o resto de sua vida na prisão, ao que Shahzad respondeu afirmativamente.

 

Ao ser questionado se realmente queria se declarar culpado, Shahzad disse que "queria se declarar culpado cem vezes mais" para que os Estados Unidos saibam que se não saírem do Iraque e do Afeganistão e não cessarem os ataques e a intromissão em terras muçulmanas, "nós vamos atacar os Estados Unidos".

 

Faisal Shahzad, que se tornou cidadão americano no ano passado, foi processado na terça passada por um tribunal federal de Manhattan acusado de dez crimes, incluindo tentativa de usar armas de destruição em massa e de atos de terrorismo que transcendiam as fronteiras americanas.

 

O homem de 30 anos é acusado de estacionar um veículo que continha uma bomba em seu interior no dia 1º de maio na praça Times Square, em Nova York. Shahzad foi preso dois dias depois do atentado falido, quando tentava embarcar em um voo para Dubai no aeroporto internacional John F. Kennedy.

 

Shahzad, que tem cooperado com as autoridades desde que foi preso, pode ser condenado à prisão perpétua.  Promotores dizem que o agora réu, que tem mulher e dois filhos no Paquistão, recebeu treinamentos na fabricação de explosivos em um reduto do Taleban e da Al-Qaeda no seu país natal. O Taleban paquistanês reivindicou a autoria do frustrado atentado.

 

Shahzad vivia no vizinho estado de Connecticut e recentemente havia voltado de uma temporada de vários meses no Paquistão. Várias pessoas foram presas no Paquistão e nos EUA em conexão com o caso.

 

O indiciamento diz que em fevereiro ele havia recebido US$ 5.000 em Massachusetts, supostamente de um conspirador ligado ao Taleban paquistanês, e outros US$ 7.000 em abril em Nova York.

 

Três homens de Massachusetts e um quarto em Maine foram presos por suspeita de terem fornecido dinheiro a Shahzad. Segundo autoridades, provavelmente a ajuda financeira foi enviada por meio de uma rede ilícita de transferência conhecida como "hawala", mas que duvidam de que os americanos sabiam para que finalidade o dinheiro seria usado.

 

O Paquistão já prendeu ao menos 11 pessoas desde o atentado falido. Um oficial da inteligência alegou que dois deles tiveram um papel importante na tentativa de ataque. Nenhum deles foi formalmente acusado até agora.
 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.