Suspeito de ser Papai Noel assassino se mata nos EUA

Testemunhas disseram à polícia que ele tirou a fantasia de Papai Noel e deixou o local trajando roupas normais

Associated Press,

25 de dezembro de 2008 | 16h34

Um homem vestido de Papai Noel, que vinha enfrentando problemas conjugais, abriu fogo numa festa de Natal numa casa que, em seguida, pegou fogo. Mais de três pessoas morreram no ataque e no incêndio subseqüente, disseram autoridades.   Horas mais tarde, a polícia descobriu o corpo do suspeito, Bruce Jeffrey Pardo, de 45 anos,  na casa do irmão, em Los Angeles. A polícia disse que ele se matou, mas não divulgou o método.   "Ele estava passando por algum tipo de problema conjugal, e acreditamos que esta residência é a residência de um parente", disse o tenente de polícia Pat Buchanan.   A polícia havia dito, inicialmente, que três pessoas tinham morrido no tiroteio e no incêndio. Mais tarde, autoridades informaram que mais corpos tinham sido descobertos nas cinzas da casa.   Segundo representantes do legista, os corpos estavam muito queimados para que se pudesse determinar se haviam sido mortos a tiros ou pelo fogo.   O atirador chegou à festa na noite de quarta-feira, 24, e abriu fogo, disse Buchanan. Testemunhas disseram que o homem tirou a fantasia de Papai Noel e deixou a casa em chamas em roupas comuns.   Um vizinho da casa atacada disse que pelo menos 25 pessoas estavam na festa.   (Ampliada às 18h14)

Tudo o que sabemos sobre:
papai noelnatalcrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.